24/03/2011

Big BS in Lybia

Vou ter que abrir um parenteses aqui no blog, pra ver se alguem pode me explicar essa situacao:
What the fuck is UN and NATO doing in Lybia?
Eh a coisa mais ridicula depois da invasao do Iraque (acho que ateh pior).
Como voce interveem num pais, somente bombardeando, e com o unico intuito de proteger civis? Soh eu acho que tem algo errado ai?
1) Bombardeando voce vai acabar matando civis tambem, eh inevitavel.
2) Vamos dizer que com esses bombardeios os ataques do exercito contra os rebeldes cessem. E ai? Vai resolver o que? O movimento jah foi suprimido e reduzido a algumas poucas cidades. Se tivesse que fazer efeito, jah o teria feito. Como proceder desse impasse?
3) Pra que, qual o motivo desse dispendio de vidas, de dinheiro, de armamentos se o seu principal objetivo nao eh derrubar o regime e o totalitarista que comanda o pais a decadas?
4) Eu acho que poderiamos categorizar essa acao como "histeria coletiva". Demoraram quase um mes para resolver se iriam intervir e mesmo assim nao planejaram a situacao muito bem. Resultado: hoje jah estah rolando uma briga entre as principais potencias para ver quem vai assumir o comando das operacoes. E... surpresa! Ninguem quer assumir! Serah pq? Talvez pq ninguem queira assumir uma missao que jah nasceu fracassada e ainda correr o risco de ter um novo Iraque em suas maos! Soh se for muuuuuito louco mesmo.


Isso porque ateh o momento soh estou analisando a acao da ONU/OTAN. Agora vamos analisar o movimento interno:
Em todos os outros pa'ises os protestos e rebelioes comecaram do mesmo jeito, com o movimento popular, liderado principalmente por jovens, procurando mudar um governo autoritarista. Ateh ai, maravilha. Fantastico. Temos que aplaudir de peh a coragem dessas pessoas pois eles lutam nao soh para derrubar um politico, mas para derrubar todo um sistema enraizado ao longo de decadas e muitas vezes com falsos argumentos religiosos para embasar suas decisoes. Raro deve ser encontrar alguem que saiba como era a vida antes do sistema (principalmente se considerar 50% da populacao desses paises eh jovem. Lembram das piramides da geografia?).

Pois eh, nos casos mais estruturados e bem sucedidos como a Tunisia e o Egito, o movimento atingiu seu objetivo, mas jah enfrenta grandes dificuldades para tirar o pais da inercia. Ou seja, nao eh facil comandar um pais de uma hora para outra, ainda mais se ha uma grande expectativa por mudancas rapidas!

No caso da Libia, o momento nasceu, cresceu, mas nao aproveitou aquela "janela", aquele momento de climax do movimento, onde todos estao unidos em um unico objetivo. Talvez ainda nao seja o momento. Sei que vao jogar pedras em mim, mas deixe-me explicar. De que adianta agora essa pequena parcela da populacao que ainda resiste assumir o poder? Se eles nem conseguiram reunir forcas para derrubar Gadaffi, como vao dirigir o pais?  Volto a dizer. Talvez nao seja o momento. E por favor, nao confundam essa analise racional com apoio ao governo atual. Gadaffi sempre foi um problema, uma bomba relogio. Pra quem nao se lembra e fazendo uma comparacao chula, ele foi o Hugo Chaves dos anos 80 e 90, o simbolo de resistencia ao imperialismo americano e bla bla bla.

Acredito sim num futuro melhor para essas regioes, mas eh necessario maior preparacao, formar uma base consolidada que entenda o movimento e nao entre soh para fazer baderna ou pq eh bonito e tah na moda. "With great power, comes great responsibilities". Apesar da frase  ser do filme do Homem Aranha, nao deixa de ser verdade.: )

Estao eles preparados para responder aos anseios de sua populacao? Acho que nao.

As vezes um passo para tras eh necessario para se ter uma visao global e imparcial da situacao. E acho que chegou esse momento para eles. Reagrupar, reorganizar, fazer benchmarking dos casos do Egito e da Tunisia. E ai sim, partir para o ataque final e conclusivo.

Era para ser um post, mas virou um artigo. hahahahahhaha
De qualquer forma, gostaria de saber a opiniao de voces. Quem sabe, talvez eu esteja fazendo a leitura erronea da situacao.

4 comentários:

APé disse...

Querida amiga, ótima e fundamentada análise. Você tem razão. Permito-me no entanto acrescentar uma moeda em seu artigo: o ouro negro. Ou seja, os mesmos motivos do Iraque: petróleo para manter o american way of life e outras guerras mundo afora.
Beijos e toda minha admiração
Arthur Vianna

Ings disse...

Grande Arthur.
Que legal sua presenca por essas bandas. E excelente lembranca: me esqueci deste "pequeno" detalhe. Brilhante mesmo! : )

Pcgomes disse...

Ings, mandou bem demais. Apesar de eu ser contra qualquer ditadorzinho, sei que a jogada foi totalmente oportunista. O motivo é claro: petróleo. Eu acho engraçado como a OTAN não faz nada contra as matanças indiscriminadas na Africa subsaariana. Ali, no máximo, deixa que a ONU resolve...

regina disse...

Esta coisa nao ta bem contada.
Como é que os rebeldes tem um exercito tào poderoso, com armas, avioes e tanques?
Se os bombardeios são para proteger os civis, então os aliados vão atacar o exercito rebelde? Sei não.